Emissão Renascença | Ouvir Online
A+ / A-

"Taxem-nos mais". Milionários em Davos pedem distribuição mais justa da riqueza

23 mai, 2022 - 23:37 • Redação

Numa carta assinada por 150 milionários pedem-se medidas aos líderes mundiais para uma distribuição mais justa da riqueza. Ricos juntaram-se ao protesto dos manifestantes de esquerda.

A+ / A-

Um conjunto de milionários reunidos em Davos está a pedir aos líderes mundiais que enfrentem a crise do aumento do custo de vida aumentando os impostos a pessoas como eles.

À margem do Fórum Económico Mundial (FEM), o primeiro a decorrer de forma presencial desde o início da pandemia, estes milionários saíram às ruas ao lado de ativistas de esquerda para pedir sistemas tributários mais justos em todo o mundo.

Isto numa altura em que aumentam as vozes críticas em relação à forma como os mais ricos lucraram nos últimos dois anos e fizeram a sua riqueza aumentar.

Em declarações à BBCS, o milionário britânico Phil White disse: "Enquanto o resto do mundo está a desmoronar-se sob o peso de uma crise económica, os bilionários e líderes mundiais reúnem-se neste complexo privado".
"É ultrajante que os nossos líderes políticos ouçam aqueles que têm mais, e sabem menos sobre o impacto econômico desta crise, e muitos dos quais pagam infamemente pouco em impostos. O único resultado crível desta conferência é tributar os mais ricos e fazê-lo agora."

White, que representa um grupo chamado Patriotic Millionaires, e ganhou dinheiro como consultor de negócios, afirmou que se juntou aos ativistas de esquerda e antipobreza que pedem mudanças na reunião anual de empresários e líderes políticos influentes porque o atual sistema económico está a falhar.

Na última década, um número crescente de milionários e bilionários nos EUA e na Europa manifestou-se, pedindo aos governos que imponham impostos mais altos, incluindo impostos sobre a riqueza dos mais ricos.

Embora apenas um pequeno número de milionários estivesse em Davos para participar no protesto, os ativistas enviaram uma carta aberta a todos os delegados de Davos, assinada por mais de 150 milionários em vários países.

Novos signatários da carta, que foi enviada inicialmente em janeiro, incluem o ator americano Mark Ruffalo. Entre os primeiros apoiantes do movimento estão a herdeira da Disney, Abigail Disney, Nick Hanauer, empresário norte-americano e investidor inicial da gigante online Amazon, e Morris Pearl, ex-diretor administrativo da empresa de investimentos BlackRock.

Marlene Engelhorn, outra milionária no protesto, disse também à BBC: "Sendo eu alguém que desfrutou dos benefícios da riqueza toda a minha vida, sei como nossa economia está distorcida e não posso continuar sentada e esperar que alguém, em algum lugar, faça algo".

"Chegámos ao fim da linha quando mais um quarto de bilião de pessoas serão empurradas para a pobreza extrema este ano", acrescentou.

A instituição de caridade Oxfam, que publica um relatório sobre a desigualdade durante o fórum de Davos todos os anos, afirma que nos últimos dois anos um novo bilionário foi criado a cada 30 horas.

No outro extremo do espectro de rendimento, a Oxfam espera que cerca de um milhão de pessoas caiam na pobreza extrema a cada 33 horas este ano, disse a diretora executiva internacional da instituição de caridade, Gabriela Bucher, à BBC.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • José J C Cruz Pinto
    24 mai, 2022 ILHAVO 06:20
    Pois, mas vão lá tentar convencer os milionários (e os pobres de espírito) portugueses!

Destaques V+