Tempo
|
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
A+ / A-

Covid-19

Marcelo vê economia "muito melhor" do que esperado

05 ago, 2021 - 18:41 • Lusa

Segundo Marcelo Marcelo Rebelo de Sousa, está atualmente a "criar-se uma dinâmica" na economia portuguesa graças à "construção civil, à indústria exportadora, à agricultura, ao setor agroalimentar, a uma parte do comércio e dos serviços, e depois àquilo que está a reabrir rapidamente".

A+ / A-

Veja também:


O Presidente da República defendeu esta quinta-feira que a economia portuguesa está a "provar muito melhor" do que o esperado, e que está a criar-se "uma dinâmica" que poderá permitir que o atual trimestre seja "bom".

"Eu acho que a economia está a provar muito melhor do que nós temíamos que provasse", afirmou Marcelo Rebelo de Sousa, após questionado sobre a situação económica do país, no Palácio de Belém, onde fez uma declaração à imprensa sobre as conquistas de medalhas por atletas portugueses nos Jogos Olímpicos de Tóquio2020.

Segundo Marcelo Marcelo Rebelo de Sousa, está atualmente a "criar-se uma dinâmica" na economia portuguesa graças à "construção civil, à indústria exportadora, à agricultura, ao setor agroalimentar, a uma parte do comércio e dos serviços, e depois àquilo que está a reabrir rapidamente".

"E, portanto, eu não penso que haja o risco de haver recuos naquilo que interessa a todos: é que este trimestre – esquecendo o mês de julho, sabemos que será sempre mais fraco – será um trimestre bom, e o quarto trimestre, melhor. E, portanto, ao nível do segundo trimestre, [que] foi uma boa surpresa", salientou o Presidente da República.

Na semana passada, o Instituto Nacional de Estatísticas (INE) divulgou que o Produto Interno Bruto (PIB) português registou um crescimento de 4,9% no segundo trimestre face ao primeiro, e de 15,5% face ao mesmo período do ano passado.

Segundo o INE, "esta evolução é influenciada por um efeito base, uma vez que as restrições sobre a atividade económica em consequência da pandemia se fizeram sentir de forma mais intensa nos primeiros dois meses do segundo trimestre de 2020, conduzindo então a uma contração sem precedente da atividade económica".

Para os números do segundo trimestre, "o contributo positivo da procura interna para a variação homóloga do PIB acentuou-se e o contributo da procura externa líquida foi menos negativo", algo que traduz "sobretudo o aumento mais significativo das Exportações de Bens" realça o INE.

"Refira-se ainda que no 2.º trimestre de 2021, em termos homólogos, se registou uma perda nos termos de troca, tendo o comportamento do deflator das importações sido influenciado, em larga medida, pelo crescimento pronunciado dos preços dos produtos energéticos", pode também ler-se na estimativa rápida a 30 dias divulgada pelo INE.

Os resultados detalhados das Contas Nacionais Trimestrais do segundo trimestre serão divulgados dia 31 de agosto.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+