Tempo
|
A+ / A-

Covid-19. Empresas de distribuição pedem alargamento de horários ao fim de semana

16 dez, 2020 - 10:50 • Beatriz Lopes , Marta Grosso

É uma das medidas sugeridas ao Governo para evitar as longas filas à porta das lojas por causa das compras de Natal. Associação também não compreende proibição de venda de álcool a partir das 20h00.

A+ / A-

A Associação Portuguesa de Empresas de Distribuição pede ao Governo que altere, com urgência, as medidas impostas aos espaços comerciais e que estão a provocar longas filas a poucos dias do Natal.

À Renascença, o diretor-geral da associação defende, entre as várias medidas, o alargamento dos horários das lojas aos fins de semana e a permissão de mais pessoas por estabelecimento.

“Defendemos o aumento do número de pessoas em loja, de cinco para o dobro, mas que seja um aumento que possa permitir a fluidez das pessoas em loja. Seria fundamental”, afirma Gonçalo Lobo Xavier.

Além disso, “a limitação de horários ao fim-de-semana já se demonstrou que não é uma prática interessante e está é a contribuir para ajuntamentos nas manhãs de sábado e de domingo, que seriam evitáveis com um horário um bocadinho mais alargado”, sublinha.

Gonçalo Lobo Xavier questiona ainda a limitação horária para a venda de álcool. “A proibição da venda de álcool depois das 20h00 é uma medida que não tem qualquer base científica, qualquer racionalidade”, afirma.

Apesar da insistência junto do Ministério da Economia e da Direção-Geral da Saúde, as respostas tardam, algo que o diretor-geral da Associação Portuguesa de Empresas de Distribuição lamenta, sobretudo, porque também as filas à porta das lojas podem ser um risco para a saúde pública.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+