Tempo
|
A+ / A-

Empréstimos. Incumprimento atinge valor mais baixo desde 2010

02 jul, 2019 - 13:31 • Lusa

Números do Banco de Portugal revelam que o crédito concedido a empresas e famílias aumentou em maio.

A+ / A-

A taxa de incumprimento das famílias baixou em maio face ao registado no mês anterior, passando de 3,3% para 3,2%. No crédito à habitação, a percentagem é ainda menor: 2,1%.

Segundo os dados divulgados nesta terça-feira pelo Banco de Portugal (BdP), é o crédito ao consumo que regista o valor mais elevado: 7,3% em maio, ainda assim 0,1 pontos percentuais abaixo do mês anterior e 1,7 pontos percentuais aquém dos 9,0% de maio de 2018.

No que diz respeito ao rácio de crédito vencido das empresas, desceu em maio para os 9,0% face aos 9,1% de abril, ficando bastante abaixo dos 12,9% do mês homólogo do ano passado.

O 'stock' do crédito diz respeito ao valor global do crédito acumulado concedido pelos bancos e é diferente das novas operações de crédito, que se referem aos novos empréstimos concedidos em cada mês.

Quanto ao total do crédito concedido pelos bancos às famílias e às empresas, aumentou 246 milhões de euros em maio face a abril, somando 192.814 milhões de euros.

Em termos homólogos, em maio o total do ‘stock’ do crédito a empresas e famílias recuou 2,0%, já que em igual mês de 2018 tinha sido de 196.749 milhões de euros.

Por segmentos, os empréstimos para compra de habitação somaram 97.284 milhões de euros, acima dos 97.201 milhões de euros de abril e abaixo dos 98.233 milhões de euros de maio de 2018.

Já nas empresas, o crédito emprestado em maio somava 68.911 milhões de euros, mais do que os 68.870 milhões de euros de abril e menos do que os 72.847 de maio de 2018.

O crédito ao consumo e outros fins era em maio de 26.619 milhões de euros, neste caso acima dos 26.497 milhões de euros de abril e dos 25.669 milhões de euros de maio do ano passado.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+