Siga-nos no Whatsapp

Fotogaleria

Conheça as novas maravilhas do Património Mundial da UNESCO

26 jul, 2021 - 16:45 • Redação com Lusa

Onze praias termais europeias e o Jardim do Retiro de Madrid tornam-se Património Mundial da UNESCO

A+ / A-
Jardim do Retiro em Madrid. Foto: Mariscal/EPA
Jardim do Retiro em Madrid. Foto: Mariscal/EPA
Praça de Cibeles celebra entrada de Paseo del Prado e Jardim do Buen Retiro na lista da UNESCO Foto: Kiko Huesca/EPA
Praça de Cibeles celebra entrada de Paseo del Prado e Jardim do Buen Retiro na lista da UNESCO Foto: Kiko Huesca/EPA

O Paseo del Prado, o Jardim do Retiro e o complexo arquitetónico, artístico e natural que os rodeiam, em Madrid, Espanha, passaram a fazer parte da lista do Património Mundial da UNESCO.

A decisão foi conhecida no fim de semana. A UNESCO também decidiu incluir na lista do Património Mundial 11 cidades termais europeias, a expressão do pré-modernismo de Mathildenhöhe, em Darmstadt, na Alemanha, frescos italianos do século XIV, em Pádua, e a área cultural de Hima, na Arábia Saudita.

As decisões foram tomadas na 44.ª sessão do comité do Património Mundial da organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura (UNESCO), que está a decorrer online, a partir da cidade de Fuzhou, na China, desde 16 de julho e até ao próximo dia 31.

A UNESCO decidiu inscrever a candidatura espanhola que toma a designação madrilena da “Paisagem da Luz”, e inclui o Paseo del Prado e do Bom Retiro, uma das primeiras alamedas arborizadas da capital espanhola, e onde se encontram edifícios como os dos museus do Prado, Rainha Sofia e Thyssen-Bornemisza, o Palácio de Cibeles e o Banco de Espanha.

A candidatura de Madrid esteve no limbo por alguns instantes, devido, primeiro, às dúvidas sobre o assunto suscitadas pelo relatório técnico do Conselho Internacional de Monumentos e Sítios (ICOMOS) e, posteriormente, pela intenção do presidente da sessão de adiar a decisão sobre a inclusão, por 24 horas, até segunda-feira.

Uma vez que se atingiu a fase final de revisão da candidatura e, como faltava apenas modificar alguns pontos para a inclusão da “Paisagem de Luz” na lista da UNESCO, vários países, entre eles Omã e a Etiópia, propuseram à presidência o encerramento do processo.


Em poucos minutos a situação foi ultrapassada e decidida a inscrição na lista da UNESCO do espaço urbano, artístico e natural de Madrid, pelo seu “excecional valor universal”.


Com esta inclusão, Espanha passa a ter 49 bens inscritos na Lista do Património Mundial da UNESCO, cinco dos quais estão na comunidade de Madrid: o Hayedo de Montejo, o mosteiro El Escorial, a cidade de Alcalá de Henares, a paisagem cultural de Aranjuez e, a partir de agora, o Paseo del Prado, o Jardim do Buen Retiro e o complexo arquitetónico, artístico e natural que os rodeia.

A análise de candidaturas vai prosseguir até à próxima quinta-feira, dia 28.

Desde o início desta sessão do comité, no passado fim de semana, a zona portuária de Liverpool foi retirada da lista de património mundial, por causa da promoção imobiliária, no espaço urbano, Veneza saiu da lista de património em risco, por ter proibido o acesso de navios de cruzeiro ao seu porto, e à Turquia foi exigido um relatório sobre o estado de conservação da antiga basílica de Santa Sofia, em Istambul, a apresentar até 2022.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+