Tempo
|
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
A+ / A-

António Costa acredita que Paralímpicos vão ultrapassar as 100 medalhas

13 ago, 2021 - 10:51 • Redação

Portugal tem 92 medalhas conquistadas em Jogos Paralímpicos. Primeiro-ministro confiante no sucesso da Missão Portuguesa. Debate do próximo ciclo deverá incidir sobre como aproveitar a experiência e competência dos atletas, após o fim da carreira.

A+ / A-

O primeiro-ministro está convencido de que a Missão Portuguesa nos Jogos Paralímpicos de Tóquio, à imagem do que aconteceu nos Jogos Olímpicos, será um sucesso. António Costa prevê a ultrapassagem da barreira das 100 medalhas conquistadas pelos atletas nacionais.

"Ao longo de todos estes anos as seleções paralímpicas já trouxeram 92 de medalhas. Nestes Jogos vamos ultrapassar a barreira das 100 medalhas", disse, com confiança, na Cidade do Futebol, em Oeiras, na cerimónia de despedidas da Missão Portuguesa, que este sábado parte para o Japão.

Tal como sucedeu com os olímpicos, os portugueses, garante o primeiro-ministro, estarão ligados à prestação dos paralímpicos, resistindo "à distância e à diferença horária".

"Qualquer que seja a hora em Portugal, enquanto estiverem em prova nós estaremos convosco. Sofrendo, quando não ganharem, e festejando, quando ganharem", afirma.

Pós-olimpismo em debate

Com o foco centrado na prestação nos Jogos, que arrancam a 24 de agosto, António Costa não deixou de antever o debate que pretende abrir, com o Comité Paralímpico de Portugal, no novo ciclo olímpico.

Além das condições criadas para os atletas em atividade, o primeiro-ministro realça a importância de se trabalhar o pós-olimpismo.

"O debate tem de ser sobre o pós-olimpismo, depois de cessar a atividade desportiva, o aproveitamento das capacidades únicas deste atletas extraordinários. O desafio que deixou ao presidente do Comité Paralímpico é que para o próximo ciclo pensemos nisto: como é que a sociedade pode dar pleno aproveitamento a este talento extraordinário que temos, que vai ser posto à prova no Japão, mas que é já uma prova vencida, num exercício de superação ao longo de toda a vida?", propõe.

Em declarações à Renascença, no programa As 3 de Manhã, José Manuel Lourenço, presidente do Comité Paralímpico de Portugal, anotou a necessidade de investimento na criação de talento, mas realçou o esforço que permitiu estabelecer equidade no apoio dado a atletas olímpicos e paralímpicos.

"Igualar o valor das bolsas e de prémios de mérito desportivo foi um passo importante", concorda António Costa.

A Missão Paralímpica parte para Tóquio este sábado, 14 de agosto. Os Jogos decorrem no Japão, entre 24 de agosto e 5 de setembro.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+