Tempo
|
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
A+ / A-

Gundogan

Nova Liga dos Campeões é "o menor de dois males" em comparação com a Superliga

22 abr, 2021 - 20:38 • Redação

Gundogan critica o formato da Champions que entrará em vigor em 2024: "Mais e mais jogos, ninguém pensa nos jogadores?"

A+ / A-

Ilkay Gundogan teceu críticas à UEFA, esta quinta-feira, pela reestruturação da Liga dos Campeões, que passará a ter mais jogos.

O médio do Manchester City aproveitou a controvérsia em volta da Superliga Europeia, de que o clube inglês foi fundador mas depois desistiu, para falar sobre o novo formato da Champions.

"Mais e mais e mais jogos, ninguém pensa em nós, jogadores? O novo formato é apenas o menor de dois males em comparação com a Superliga. O formato atual da Champions funciona perfeitamente e é por isso que é a competição de clubes do mundo — para nós, jogadores, e para os adeptos", escreveu o internacional alemão no Twitter.

Como será a nova Liga dos Campeões?


Entrará em vigor, a partir da época 2024/25, o novo formato da Liga dos Campeões. A mudança mais drástica está na fase de grupos.

É extinto o formato dos agrupamentos de quatro equipas e passará a existir apenas um grupo, com as 36 equipas presentes na competição. O sorteio dos jogos será feito através do "ranking" das equipas, com base no rendimento dos clubes nas provas europeias nos cinco anos anteriores.

Cada clube fará 10 jogos, contra 10 adversários diferentes, cinco em casa e cinco fora, em vez dos seis jogos habituais. As oito melhores equipas qualificar-se-ão automaticamente para os oitavos de final, enquanto que as equipas que terminarem entre o nono e o 24.º postos disputarão "play-offs" a duas mãos, que completarão o quadro de 16 equipas que disputarão os oitavos de final da prova, que decorrerá nos moldes normais.

O modelo permite que os clubes façam, pelo menos, dez jogos europeus em cada época, ao contrário dos atuais seis da fase de grupos. Ao mesmo tempo, vai permitir um maior número de jogos entre grandes clubes europeus, criando maior atração e receita para os clubes e para a UEFA.

A Liga dos Campeões terá mais quatro equipas do que o formato atual (de 32 para 36). Uma das vagas irá para a liga que estiver em quinto lugar no "ranking" da UEFA, ocupado pela França neste momento. A segunda irá para um campeão que não tenha entrada direta na competição.

As outras duas vagas prometem ser mais polémicas, uma vez que vão para clubes com o maior coefeciente europeu nos últimos cinco anos, mas que não se qualificaram para a Liga dos Campeões, mas para outras provas europeias. Um exemplo nesta temporada seria o caso do Tottenham, que chegou à final da Liga dos Campeões em 2019, mas apenas se qualificou para a Liga Europa na última temporada.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+