Siga-nos no Whatsapp

Euro 2020

​Carne com vinho tinto, bitoques e francesinhas em Budapeste

22 jun, 2021 - 09:36 • Pedro Azevedo , texto e fotos

Restaurante português fica a cinco minutos do estádio do Vasas onde a seleção treina diariamente na capital húngara.

A+ / A-

"Picante" é o nome de um pequeno restaurante português situado a cinco minutos de carro do estádio do Vasas, o “laboratório” da seleção em Budapeste.

Adrienne Bago, a gerente, é húngara e sabe poucas palavras em português. “Obrigado, bom dia e boa noite”, as palavras que conhece e pronuncia na perfeição. Visitámos o "Picante", na Rua Victor Hugo em Budapeste e encontrámos um pequeno espaço vocacionado para "take-away", mas com duas mesas e um balcão para os clientes que preferem fazer a refeição no interior do espaço.

Nas paredes cheira a Portugal. Dois painéis de azulejos que retratam uma caravela dos Descobrimentos e a colocação do vinho em barris de carvalho. Também não passam despercebidos, um galo de Barcelos, cachecóis da seleção, do Benfica e do FC Porto, um grande poster de Eusébio e uma imagem de Ronaldo a celebrar um dos golos do memorável jogo na Suécia que qualificou Portugal para o Mundial de 2014.


Junto ao balcão onde funciona o "take-away" está uma ementa num quadro de giz com pratos portugueses, como carne com vinho tinto, bitoque, fígado com cebolada e francesinhas.

Adrienne quase não fala português, mas sabe de cor os pratos que o cunhado, um húngaro casado com uma portuguesa, decidiu introduzir na Hungria quando abriu o negócio, há mais de uma dúzia de anos.

“Este lugar foi fundado por uma senhora portuguesa e pelo seu marido húngaro que é meu cunhado. Juntos abriram este restaurante para introduzirem na Hungria os pratos portugueses em combinação com especialidades de outras zonas do mundo”, explica.

O restaurante "Picante" em Budapeste tem muita clientela local, mas também é procurado por turistas de várias nacionalidades. “Os brasileiros e os húngaros são os que procuram mais a nossa comida, mas também os franceses e os espanhóis”, refere.

A atual gerência do "Picante" não fala português, mas não deixa de divulgar pratos típicos portugueses e Adrienne sabe que esta quarta-feira, na sua cidade, a seleção das quinas joga com a França. No "Picante" torce-se só por uma bandeira. “Sou por Portugal”, declara sem pestanejar a gerente do restaurante.

Tópicos
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+