Siga-nos no Whatsapp
Explicador Renascença
As respostas às questões que importam sobre os temas que nos importam.
A+ / A-
Arquivo
Há uma nova variante da Covid-19 que está a aumentar os casos em Portugal. Que variante é esta?

Explicador Renascença

Que nova variante da Covid-19 é esta que está a fazer aumentar o número de casos em Portugal?

20 dez, 2023 • Hugo Monteiro


De acordo com o último relatório da Direção-Geral de Saúde, “a notificação de casos de infeção por SARS-CoV-2 estabilizou” em Portugal. Mas porquê este alerta com a nova variante?

Já não estamos em pandemia mas, nas últimas horas, ficámos a saber que há uma nova variante da COVID-19 que está a aumentar os casos de infeção em Portugal.

Que variante é esta?

É a variante JN.1. É altamente contagiosa e de acordo com os especialistas, será dominante dentro de muito pouco tempo dominante muito em breve.

Trata-se de uma sub-linhagem, descendente de uma outra mais antiga, a famosa variante Ómicron, que está a fazer disparar o número de casos de Covid19, não só em Portugal, mas também noutros países, como em França ou os Estados Unidos. Ainda assim, no caso português, o mais recente relatório da Direção-Geral de Saúde indica que o número de casos notificados estabilizou.

Mas esta nova variante é mais perigosa do que as anteriores?

Não necessariamente. A Organização Mundial da Saúde já veio explicar que os riscos de saúde adicionais trazidos pela JN.1 são atualmente avaliados como sendo baixos.

No caso português, a subida do número de infeções provocadas por esta nova variante - a JN.1 - não é considerada muito preocupante, porque não está a ter impacto noutros indicadores, como o número de mortes.

No entanto, a OMS classifica esta a variante como “de interesse”, o que significa que desenvolveu algum tipo de características que fazem com que seja importante acompanhar, de forma atenta, a sua evolução e a forma como se propaga.

Então porquê este alerta?

Por causa do Inverno e das outras doenças respiratórias que circulam, ou seja, o risco está na associação de uma doença, neste caso a Covid, que pode ter manifestações de doença respiratória com outras normais para esta altura do ano, como são a gripe, o vírus sincicial respiratório - responsável pelas bronquiolites e ainda a pneumonia infantil comum - doenças que estão em crescimento.

Ora, nomeadamente em Portugal, com os atuais constrangimentos nos serviços de urgência dos hospitais, o cenário pode ficar ainda mais complicado, nas próximas semanas, nas unidades de saúde.

Mas temos ouvido notícias que nos dizem que há uma boa adesão à vacinação, não só contra a Covid, mas também contra a gripe. Isso não ajuda?

Ajuda e continua a ajudar. Tendo em conta que a maior parte da população está imunizada contra a Covid-19 e que os grupos de risco estão vacinados, os especialistas acreditam que esta variante não deverá provocar doença grave. Ainda assim, pode ter algum impacto nas hospitalizações - num quadro de constrangimentos nas unidades de saúde, como já referi.

Portanto, e resumidamente, este é o primeiro ano em que há três vírus respiratórios a circular em simultâneo, o que pode tornar o Inverno - que chega dentro de dois dias - ainda mais complicado.

Por que é que os resultados dos rankings são todos diferentes?
O que se sabe sobre a nova estirpe da “varíola dos macacos”?
Portugal tem a população mais envelhecida da UE?
Portugal registou uma quebra de nascimentos no primeiro semestre do ano. Quais são os dados?
Quantos milionários há em Portugal?
O que prevê o novo acordo do Governo com os polícias?
Qual é o objetivo da cimeira da NATO?
Quem é que a PGR acusou de orquestrar uma campanha contra o Ministério Público?
Turismo. Quem escolhe Portugal para passar férias e quanto gastam os portugueses quando viajam?
Nova Frente Popular. O que é a união das esquerdas que venceu em França?
Ronaldo pode ser castigado por "marketing de emboscada". A culpa é do ritmo cardíaco
Eleições no Reino Unido. Os trabalhistas podem ganhar estas eleições?
O que é que Lucília Gago vai esclarecer no Parlamento?
Bolsas para alunos do ensino superior. Conheça as novidades
Por que é que continua a haver muitos votos desperdiçados?
200 mil utentes retirados da lista dos centros de saúde. O que se passa?
O Governo quer responsabilizar as administrações hospitalares pelas listas de espera de cirurgias. Como assim?
Os portugueses queixam-se de quê no livro de reclamações eletrónico?
Eleições em França. Como funciona a segunda volta?
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.